E ntrenbsp; M desfazer

Entre Mundos - Quinteto Alexandre Silvério (2015)

Com seu novo álbum intitulado Entre Mundos, o Quinteto Alexandre Silvério traz para o cenário do jazz brasileiro e internacional a experiência única de ter o fagote como instrumento solista.

De certa forma, podemos entender que uma forte característica da música do século XX foi a contribuição entre as diferentes expressões artísticas e também o processo de criação. De um lado, o Modernismo da música clássica europeia se destacou explorando texturas, sons e todo tipo de efeitos que até então, nunca haviam sido pensados na música tradicional orquestral e de câmara. Por outro lado, especialmente nos Estados Unidos da América após a Segunda Guerra Mundial, foi estabelecido um processo gradual de consolidação de uma tradição popular do jazz priorizando improvisações solo. Executados em alto nível, as capacidades de uma interpretação estrita da música escrita e da criação instantânea através da improvisação estiveram a cargo de diferentes músicos que se aperfeiçoaram em diferentes ambientes e em diferentes contextos.

Alexandre Silvério ocupa o cargo de primeiro fagotista presidente da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, considerada a principal orquestra do Brasil e da América do Sul. Ao longo de sua carreira, Alexandre recebeu diversos prêmios importantes no Brasil e teve a oportunidade de se apresentar com a Orquestra Filarmônica de Berlim quando estudava na Alemanha. O que surpreende é o fato de Alexandre também se dedicar à prática de habilidades específicas do jazz e da música brasileira. Exemplos dessas habilidades são o domínio total de processos de improvisação sutis e criativos, bem como a realização de um sentido sólido de ritmo que é particularmente exigido pelo jazz. Tudo isso sem abrir mão de um cuidado fino com a sonoridade e expressividade do fagote em toda a sua extensão.

O mundo popular de Alexandre pode ser melhor apreciado agora em seu novo álbum, Entre Mundos O projeto desse álbum foi premiado pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo por meio de um programa de apoio às artes. Uma escuta atenta se revelará como um álbum de música instrumental popular, com modos resolutivos singulares a cada arranjo, contrastes de densidade e alternância de funções entre os instrumentos em um diálogo constante.

O álbum abre com a força e o swing de um samba intitulado Saudade (de Alexandre Silvério), afirmando o enunciado musical brasileiro do quinteto. O quinteto é formado por Fábio Leandro (Rhodes e piano), Vinícius Gomes (guitarras), Igor Pimenta (contrabaixo) e Sergio Reze (bateria). Alexandre é o compositor da nova canção da bossa intitulada Tarde em Berlim (faixa 4), do jazz virtuosístico pós-bebop Gordus Power (faixa 5), da lírica Ballad for Klaus (faixa 6) - dedicada ao seu ex-professor Klaus Thunemann; por fim, o choro-samba Meu Fagote Chorou (faixa 9) também é composição de Alexandre.

Sendo o jazz uma atividade musical cujo processo de criação é coletivo, em Entre Mundos Alexandre cede espaço a composições de seus parceiros de quinteto em diferentes estilos e gêneros. Tais composições são Valsa para Bill (de Vinícius Gomes) diálogos extremamente bem com Very Early de Bill Evans; Cromática (Fábio Leandro) que traz ecos da complexidade de Thelonious Monk em Blue Monk; a última contribuição de um dos integrantes do quinteto, é a melodia de Igor Pimenta intitulada Um Tango para El Chico. Um Tango para El Chico tem uma lembrança de Astor Piazzola e dá calor à atmosfera final deste álbum. Há também uma incursão especial no mundo dos standards do repertório cool de Miles Davis, Chet Baker e Gerry Mulligan. Alexandre Silverio Quintet aceita o desafio de interpretar a obra-prima My Funny Valentine (Rodgers / Hart) em um estilo funk elegante e criativo.

Entre Mundos é o álbum de um músico completo que além de sua notoriedade na música clássica, se expressa com fluência na também sofisticada música instrumental popular do século 21, arriscando-se ao explorar radicalmente nuances e particularidades.

Curiosamente, este músico toca fagote, e este músico é Alexandre Silvério.

Também disponível com nossa parceria:

TRILHAS:

1. Saudade

2. My Funny Valentine

3. Valsa para Bill

4. Tarde em Berlim / Tarde em Berlim

5. Gordus Power

6. Balada para Klaus (introdução ao piano)

7. Balada para Klaus

8. Cromática

9. Meu fagote chorou

10. Un tango para "El Chico"

Alexandre Silvério, fagote

Fábio Leandro, piano e rhodes

Vinícius Gomes, violão

Igor Pimenta, baixo

Sérgio Reze, bateria e gongo

DETALHES DO ÁLBUM:

-Lançado em 03 de abril de 2015

-Formato: CD

-Gênero: Jazz e Música Brasileira